Arquivo mensais:agosto 2012

28 de Agosto: Dia da Avicultura

A avicultura possibilita a produção com qualidade garantida de aves para alimentação: carne e ovos. Destaca-se o frango e em escala menor aves de postura, patos, gansos, marrecos, codornas, avestruzes. A produção de frangos de corte no Brasil – da granja ao prato – modernizou-se pela necessidade de redução de custos, ganho de produtividade e atendimento de exigentes consumidores, preocupados com segurança alimentar.

A avicultura no Brasil desponta na agropecuária por ser considerada a mais dinâmica e tecnificada e seu desenvolvimento começou no final da década de 50, na região Sudeste, principalmente, em São Paulo. Em 70, período de profunda transformação houve o deslocamento para a região Sul. A produção brasileira em 2010 ultrapassara 11 milhões de toneladas com 30% sendo exportada para mais de 150 países. O mercado interno – maior demanda da produção – mudou o hábito de consumo, de consumidor de carne vermelha a carne branca do frango, ultrapassando 40 kg por habitante/ano. A China, potencial consumidor no futuro registra em torno de 10 kg/habitante.

Somos o maior exportador mundial e um dos maiores produtores, contando com grandes marcas, gerindo a sustentabilidade dessa posição de liderança. Mais de quatro milhões de pessoas atuam, diretamente, na avicultura brasileira, valendo ressaltar a integração entre produtores rurais e as agroindústrias que se caracteriza numa parceria de sucesso, envolvendo empresas, produtores, fornecedores de insumos avícolas, municípios e instituições publicas/ privadas, principalmente na viabilidade de financiamentos. O Dia da Avicultura, comemorado hoje, dá a importância que este setor representa no cenário social, político, econômico, cultural, ambiental, agropecuário, de bem-estar animal e humano – foco final de associações, empresas, profissionais e consumidores, em razão da produção de alimentos no final do processo.

As projeções do consumo brasileiro de carne de frango superaram 8 milhões de toneladas/ano e em 2020 deve chegar a 11 milhões de toneladas, sendo possível calcular-se a evolução do consumo per capita nesse período, porém difícil estabelecer a real população brasileira.

Neste mercado de grandes empresas, que tanto movimenta a economia e investe em tecnologia, a Interseal, fornecedora de peças para a manutenção das máquinas e equipamentos dessa indústria, colabora para que estes números continuem crescendo.

Fonte: http://www.meatworld.com.br/artigos/post/28-de-agosto-dia-da-avicultura-2

Dicas para prolongar a vida útil dos Rolamentos

*Respeitar os intervalos de lubrificação;
*Não engraxar excessivamente os rolamentos e limpá-los com gasolina antes de colar a graxa nova (salvo se houver evacuador automático de graxa);
*Utilizar as graxas recomendadas pelo fabricante em função do serviço e da temperatura;
*Para os mancais lubrificados a óleo, verificar os anéis de retenção e utilizar o óleo recomendado;
*Observar a temperatura dos mancais em operação;
*Cuidar para que a temperatura ambiente permaneça dentro dos limites normais;
*Se o motor precisa funcionar num ambiente anormal, assinalar este fato ao fabricante no momento do pedido;
*Durante a limpeza, evitar depósitos de poeira nas caixas de rolamentos.

Fonte:http://www.dee.ufrn.br/~joao/manut/10%20-%20Cap%EDtulo%208.pdf

MANUTENÇÃO E LIMPEZA DE MOTORES ELÉTRICOS DE CORRENTE ALTERNADA

A manutenção dos motores elétricos, adequadamente aplicados, resume-se numa inspeção periódica quanto a níveis de isolamento, elevação de temperatura, desgastes excessivos, correta lubrificação dos rolamentos e eventuais exames no ventilador, para verificar o correto fluxo de ar. A freqüência com que devem ser feitas as inspeções, depende do tipo de motor e das condições do local de aplicação do motor.
Os motores devem ser mantidos limpos, isentos de poeira, detritos e óleos.
Para limpá-los, deve-se utilizar escovas ou panos limpos de algodão. Se a poeira não for abrasiva, deve-se utilizar o jateamento de ar comprimido, soprando a poeira da tampa defletora e eliminando toda acumulação de pó contida nas pás do ventilador e nas aletas de refrigeração.
Em motores com proteção IP55, recomenda-se uma limpeza na caixa de ligação. Esta deve apresentar os bornes limpos, sem oxidação, em perfeitas condições mecânicas e sem depósitos de pó nos espaços vazios. Em ambiente agressivo, recomenda-se utilizar motores com grau de proteção IPW55, que é o motor que necessita proteção contra o acúmulo de poeiras prejudiciais ao gerador e jatos de água em todas as direções, conforme as normas IEC e ABNT-NBR 6146.

Fonte:http://www.ebah.com.br/content/ABAAABoSoAH/manutencao-motores-eletricos

Como são fabricados os tecidos tecnológicos?

Nesta época de Jogos Olímpicos, onde o esporte de alto rendimento é assunto em todos os meios de comunicação, a Interseal mostra como são fabricados os tecidos tecnológicos.

Por trás das roupas que usamos para treinar e competir, existem uma série de avanços tecnológicos que permitem maior conforto e melhor desempenho aos atletas. Essas características são oriundas, principalmente, do tecido com o qual as peças são feitas, sejam bermudas, tops, macaquinhos, etc.

A primeira parte do processo é a tecelagem, onde os fios são combinados em diferentes proporções para gerar tecidos com características distintas.

A poliamida é uma designação genérica para uma família de polímero químico sintético inventado pela DUPONT em 1935. Como fibra sintética, a poliamida é considerada uma das mais amigáveis para a pele. Sua utilização desde os primórdios de produção em escala comercial sempre tem sido preferida quando existe o contato direto do tecido com a pele, como o caso de meias femininas, linha íntima, praia e roupas esportivas. Sua maciez, flexibilidade e hidrofilidade equilibrada conferem um notável conforto durante o uso.

Depois da tecelagem, o tecido cru sofre tratamentos químicos e passa por uma lavagem industrial, processos que vão permitir que eles sejam tingidos na etapa seguinte. O tingimento é um passo que exige alto controle de qualidade para que a cor do tecido seja exatamente da cor solicitada pelo cliente. É nessa parte do processo que os produtos comercializados pela Interseal entram: oferecemos peças para a manutenção das máquinas que vão produzir e tingir os tecidos. Para isso, as empresas investem em testes de laboratório e manutenção, oferecendo um tecido de extrema qualidade para seus consumidores. Até mesmo os tecidos brancos precisam ser tingidos. Alguns tecidos ainda passam pelo processo de estamparia.

Após o processo de tingimento, os tecidos passam por mais alguns tratamentos químicos e é submetido a testes de controle de qualidade. Estes testes garantem que as propriedades do tecido que será enviado para a expedição. Lá, estão prontos para irem para as fábricas de roupas esportivas!

Fonte: http://www.mundotri.com.br/2011/04/saiba-como-sao-fabricados-os-tecidos-tecnologicos-para-roupas-de-triathlon/

Como funciona um capacitor?


Os capacitores são componentes que, embora não conduzam corrente elétrica entre seus terminais, são capazes de armazenar certa corrente, que será “descarregada”, assim que não houver resistência entre seus terminais.
É formado por 2 placas condutoras, separadas por um material isolante chamado Dielétrico. Ligados a estas placas condutoras estão os terminais para conexão deste com outros componentes de um circuito elétrico.
A Capacitância (C) é a capacidade de acumulação de cargas elétricas no capacitor, quando aplicamos em seus terminais determinada tensão. Sua capacitância é determinada pelas dimensões das placas e pela distância de uma em relação à outra, ou seja, é diretamente proporcional à área e inversamente proporcional à espessura do Dielétrico.
A quantidade de cargas que um capacitor pode armazenar depende da tensão e de sua capacitância entre seus terminais.
Quando uma corrente Contínua é aplicada a um capacitor, a tensão leva um certo tempo para atingir o valor máximo. Portanto, no capacitor, a corrente está adiantada em relação à tensão. O tempo necessário para que o capacitor se carregue totalmente depende das resistências do circuito.
Quando uma Tensão Alternada é aplicada a um capacitor, seu comportamento é a conseqüência direta do que ele manifesta no caso de uma Tensão Contínua.
Com as Tensões Alternadas, produzindo o fenômeno de sucessivas cargas e descargas, verifica-se uma circulação de corrente, embora esta não flua diretamente pelo Dielétrico.
Assim, chega-se a uma das principais aplicações dos capacitores: a de separar a Corrente Alternada da Corrente Contínua, quando estas se apresentam simultaneamente.
Em geral, o capacitor comporta-se como um Circuito Aberto em
Corrente Contínua e como uma Resistência Elétrica em Corrente
Alternada.

Fonte: http://www.ebah.com.br/content/ABAAAA7yQAB/capacitor